Pierre Frisano

Desenhador, Argumentista
(França) 7 de Janeiro de 1934


Pierre Frisano é um artista francês do pós-guerra da BD realista. Após a Segunda Guerra Mundial, com apenas treze anos de idade, falsifica a sua data de nascimento para obter o diploma e ir trabalhar como fabricante de mobiliário. Pouco antes de entrar no serviço militar, é apresentado a Lexis René, que trabalha para a editora Sagédition, onde faz a sua estreia profissional, fazendo ilustrações de capa, contos e ilustrações. Em 1952, substituiu Gérald Forton em Jim Cartouche. Quatro anos mais tarde, colabora em várias revistas femininas, seguido por um período de dez anos de desenho (principalmente) em tiras verticais para o Paris-Jour. Em 1972, Frisano faz parceria com Jean-Marie Pélaprat  numa adaptação à BD da série de televisão Daktari. Durante o mesmo período, começa uma longa colaboração com Raymond Maric para revistas como Le Journal des Pieds Nickelés, Le Journal de Bibi Fricotin e Lili & Aggie. Esta dupla cria séries como Le Patrouilleur de l’ Espace, Macchus, Gorak e Skatié. No final dos anos 70 e início de 80, Frisano intensifica o trabalho para revistas, como Pistilo (Swen et Bogi), Télé-Junior (Fantômas) e Fulgur Capitan (San Kukai). Faz um álbum com Zorro em MCL e colabora em publicações como Edi Europ, Défi, Fantastik Super e Vautour. Além disso, desenha para as coleções Larousse A História do Far-West e Découvrir La Bíblia.
Em 1981, começa a trabalhar com Maric para a revista Spirou (Contes Défaits, Pérouane prince Inca), para a Dargaud (Che Guevara - les barbudos du Granna) e RTL (Otelo, Aida). Outras BD’s na década de 80 incluem Sébastien, les Chemins de la Vie (com Jean-Paul Tiberi), e as adaptações de Jacquou le Croquant e Sans Famille (publicado em Okapi). Na década de 90, desenha Saint-Martin e La Petite Thérèse de Lisieux, duas novas colaborações com Maric para as Éditions Le Signe.



Séries publicadas em Portugal:
História do Far-West

[actualizado a 20-2-2015]
Esta página destina-se a compilar a banda desenhada publicada nas revistas portuguesas do século XX. Os dados constantes desta base de dados foram retirados das revistas, álbuns, bibliografia especializada e páginas da Internet. As informações constantes desta base de dados não se consideram completas, sendo meramente uma comparticipação do autor para o estudo da banda desenhada publicada em Portugal. Contudo, as bases de dados estão em permanente actualização. A catalogação dos episódios está, quando possível, ordenada por ordem cronológica da sua edição no país de origem. Nos autores, o primeiro nome refere-se ao desenhador. O ano refere-se à primeira publicação do episódio. Desde já, agradeço quaisquer colaborações para o desenvolvimento desta página, enviando correcções, aditamentos ou sugestões através do formulário da página.