Eduardo Teixeira Coelho

Argumentista, desenhador
(Portugal) Angra do Heroísmo, 4 de Janeiro de 1919 - Florença (Itália), 31 de Maio de 2005


Nascido nos Açores, Eduardo Teixeira Coelho foi para o continente aos 11 anos, onde publicou o seu primeiro trabalho - uma sequência cómica em quatro vinhetas - no Sempre Fixe de 16 de Abril de 1936. Trabalhou em publicidade e como ilustrador e, em 1943, tornou-se um dos fiéis e mais marcantes colaboradores de O Mosquito, uma famosa revista infantil portuguesa. Foi aqui que, segundo Leonardo de Sá e António Dias de Deus (no Dicionário dos Autores de Banda Desenhada e Cartoon em Portugal), Coelho "alcançou a mestria total na ilustração de novelas com carácter histórico, moderno ou fantástico". Foi n' O Mosquito que, quase sempre a trabalhar com o argumentista Raul Correia, publica algumas das suas obras mais conhecidas, tais como Os Guerreiros do Lago Verde (1945), Os Náufragos do Barco sem Nome (1946), Falcão Negro (1946-1949), O Caminho do Oriente (1946-1948), Sigurd, o Herói (1946), A Lei da Selva (1948), Lobo Cinzento (1948-49), A Torre de D. Ramires (1950), O Defunto (1950), O Suave Milagre (1950), Os Doze de Inglaterra (1950-1951) e A Aia (1952).
Com o fim de O Mosquito, em 1953, desempregado e pouco contente com as limitações que o Estado Novo impunha ao seu trabalho, decidiu emigrar em 1954.
Passou por Espanha, onde participou na revista Chicos, e pela Inglaterra, tendo se fixado em França, onde colaborou com as revistas Vaillant, Pif gadget, Pipolin e Pirates. Publicou, sobretudo usando o pseudónimo Martin Sièvre, e trabalhou com os argumentistas Jean Ollivier e Roger Lécureux, criando várias personagens localizadas no mundo viking. Entre as séries mais conhecidas deste período (algumas publicadas posteriormente em Portugal no Mundo de Aventuras), encontram-se Ragnar le Viking (1955-1969), Davy Crockett (1957), Wango (1957), Yves Le loup (1960-1961), Biorn le Viking (1962-1968), Cartouche (1964-1966), Robin des Bois (1969-1975), Le Furet (1975-1976), Érik, le Rouge (1976-1977) e Ayak, le Loup Blanc (1979-1984).
O estilo de Eduardo Coelho, "inicialmente límpido e fluente", evoluiu, dizem Leonardo de Sá e António Dias de Deus, "gradualmente para uma forma mais estática e carregada de detalhes". Radicou-se na Itália desde o início da década de 1970, tendo recebido em 1973, no Salão Internacional de Lucca, o prémio Yellow Kid, para o melhor desenhador estrangeiro. Redescoberto em Portugal, com várias reedições e traduções, foi-lhe atribuído o Mosquito Especial em 1986 e ainda o Grande Troféu do Festival Internacional da Amadora em 1997.
No dia 31 de Maio de 2005, aos 86 anos, Eduardo morreu na cidade em que residia, Florença.

in wikipedia

Séries publicadas em Portugal:
Ayak, Biorn, Cartouche, Davy Crockett, Eric o Vermelho, Falcão Negro, Ragnar, Robin dos Bosques, Wango, Yves o lobo

One-shots publicados em Portugal:
  • Os guerreiros do lago verde, 1945, O Mosquito (1ª série) #600 a #631; Cadernos da BD (II série) #5
  • Os náufragos do barco sem nome, 1946,O Mosquito (1ª série) #681 a #710; Jornal do Cuto #19 a #44
  • O grande rifle branco, 1946, O Mosquito (1ª série) #685 a #703
  • A moura e a fonte, 1946, A Formiga (sup. O Mosquito-1ª série) #128 a #139; A Formiga (sup. Jornal do Cuto) #12 a #17
  • O feitiço do Homem Branco, 1946, O Mosquito (1ª série) #704 a #713
  • A moura e o dragão, 1946, Raul Correia (textos), A Formiga (sup. O Mosquito-1ª série) #140 a #151; A Formiga (sup. Jornal do Cuto) #1 a #11
  • O caminho do Oriente, 1946, Raul Correia (textos), O Mosquito (1ª série) #749 a #941; Jornal do Cuto #73 a #108 (inc.); Álbuns Editorial Futura (6 volumes) [1983] [Antologia da BD portuguesa #6 a #11]
  • Sigurd, o herói, 1946, O Mosquito (1ª série) #769 a #782; Jaguar #6
  • O mensageiro, 1948, O Mosquito (1ª série) #893 a #903; Jaguar #6
  • A lei da selva, 1948, O Mosquito (1ª série) #904 a #943; Jornal do Cuto #9 a #43
  • Lobo Cinzento, 1948, O Mosquito (1ª série) #945 a #1000; A Formiga (sup. Jornal do Cuto) #18 a #42
  • A moura e o mar, 1949, O Mosquito (1ª série) #1002 a #1020
  • A morte do lidador, 1950, O Mosquito (1ª série) #1099 a #1111; Jornal do Cuto #1 a #13
  • A torre de D. Ramires, 1950, Raul Correia (textos), O Mosquito (1ª série) #1113 a #1143; Jornal do Cuto #45 a #87; Álbum Editorial Futura [1986] [Antologia da BD portuguesa #21]
  • O defunto, 1950, O Mosquito (1ª série) #1157  a #1187; Álbum Vega [1993]*
  • O suave milagre, 1950, O Mosquito (1ª série) #1188 a #1200; Almanaque «O Mosquito» de 1984; Brochura do Clube Português de Banda Desenhada [1986]; Álbum Vega [1993]*
  • Os doze de Inglaterra, 1950, Raul Correia (textos), O Mosquito (1ª série) #1201 a #1306; A Formiga (sup. Jornal do Cuto) #43 a #66 (inc)
  • A patrulha do Sul, 1952, Raul Correia (textos), O Mosquito (1ª série) #1309 a #1312 (inc)
  • O tesouro, 1952, O Mosquito (1ª série) #1375 a #1381; Jornal do Cuto #12 a #18; Álbum Vega [1993]*
  • A aia, 1952, O Mosquito (1ª série) #1382 a #1387
  • S. Cristóvam, 1952, O Mosquito (1ª série) #1388 a #1412 (inc)
  • Till Ulenspiegel: O rebelde dos países baixos (Till Ulenspiegel), 1956, Jean Ollivier (textos), O Falcão (1ª série) #1 a #25
  • O cavaleiro da águia vermelha (Knights of the red eagle), 1957, O Falcão (2ª série) #365 e #976 (reimpressão)
  • Este sábado 18 (Ce samedi 18), 1957, Almanaque «O Mosquito» de 1987
  • A consoada de Candy Sand (Le réveillon de Candy Sand), 1957, Selecções BD (2ª série) #26
  • O torneio de Josselin (Le tournoi de Josselin), 1958, Jean Ollivier (textos), O Falcão (1ª série) #12
  • Os porcos de Lencastre (Les cochons de Lancastre),1959, Jean Ollivier (textos), O Falcão (1ª série) #59
  • O desafio (Le défi), 1964, Jean Ollivier (textos), O Mosquito (5ª série) #1
  • O chacal dos mares (Le chacal de la mer), 1964, O Mosquito (5ª série) #2
  • A corrida de Forte Chadbourne (La course de Fort Chadbourne), 1964, Jean Ollivier (textos), Almanaque «O Mosquito» de 1986
  • A viagem das quedas (Le voyage des chutes), 1975, O Mosquito (5ª série) #4 
  • A fortaleza invencível (La forteresse imprenable), 1968,Georges Rieu (textos), Almanaque «O Mosquito» de 1985
  • Fátima, 1985, Álbum Editorial Futura [1985]; Álbum Meribérica [2001]
  • Decameron, 1988, Álbum Meribérica (2 volumes) [1988] 
  • Franco Sacchetti - Nobela LXIV, 1998, Selecções BD (2ª série) #1
  • Um motim popular  - Franco Sachetti Novela CLIX, 1999, Selecções BD (2ª série) #6
  • Senaquerib; rei da Assíria, 1999, Selecções BD (2ª série) #12
  • O rei do bosque, 2000, Selecções BD (2ª série) #22
  • A peste, 2001, Selecções BD (2ª série) #31
* Álbum que reúne O tesouro+O suave milagre+O defunto
[actualizado em 14-12-2014]
Esta página destina-se a compilar a banda desenhada publicada nas revistas portuguesas do século XX. Os dados constantes desta base de dados foram retirados das revistas, álbuns, bibliografia especializada e páginas da Internet. As informações constantes desta base de dados não se consideram completas, sendo meramente uma comparticipação do autor para o estudo da banda desenhada publicada em Portugal. Contudo, as bases de dados estão em permanente actualização. A catalogação dos episódios está, quando possível, ordenada por ordem cronológica da sua edição no país de origem. Nos autores, o primeiro nome refere-se ao desenhador. O ano refere-se à primeira publicação do episódio. Desde já, agradeço quaisquer colaborações para o desenvolvimento desta página, enviando correcções, aditamentos ou sugestões através do formulário da página.